O que é Arduino: Para que serve e como aplicar suas utilidades?
Dicas para projetos

O que é Arduino: Para que serve e como aplicar suas utilidades?

Até pouco tempo atrás, desenvolver um projeto de eletrônica era uma tarefa complicada, demorada e cara. Com o surgimento de uma plaquinha, em 2005, na Itália, isso mudou completamente. Estamos falando do Arduino, que viabiliza milhares de projetos de robótica, automação, entre outros, atuando como um cérebro e “dando vida” às mais diferentes ideias.

Já conhece esse componente? Quer saber mais sobre ele? Então você está no lugar certo. Acompanhe esse conteúdo que aborda o que é Arduino, sua função, como funciona, principais aplicações e outras informações relativas ao tema.

Boa leitura! 

O que é um Arduino?

É uma placa ou plataforma eletrônica baseada em hardware e software descomplicados. De código aberto e baixo custo, pode ser usada por qualquer pessoa para compor projetos interativos e para o desenvolvimento de protótipos.

Esse microcontrolador consegue ler entradas – utilizando elementos como sensores ou botões – e as transforma em saídas, acionando um motor, ligando um LED, entre outras funções. A placa utiliza o Software Arduino e atende a instruções que são dadas em uma linguagem específica, baseada em Wiring.

Para que serve um Arduino?

O Arduino serve para compor principalmente projetos de eletrônica e elétrica, pois possui várias portas para conexões com módulos e sensores, facilitando o desenvolvimento dos trabalhos e experimentos.

Por se tratar de um circuito eletrônico fácil de usar, compacto e com boa capacidade de processamento, é usado para o ensino de programação em escolas e universidades.

Também é muito útil para o desenvolvimento de infinitos projetos de robótica e automação residencial, pois atua como um cérebro eletrônico programável.

É adotado para o controle de portas, motores, brinquedos, entre outros objetos e equipamentos; serve para monitorar temperatura, nível, entre outras outras variáveis; além de permitir e facilitar a prototipagem de produtos.

Onde o Arduino pode ser utilizado?

A plataforma pode ser usada no âmbito doméstico, educacional, comercial e até industrial, por conta de sua versatilidade.

Iniciantes e especialistas aproveitam suas vantagens e facilidade de interação com ambientes, para criar desde objetos mais simples para o cotidiano até ferramentas científicas complexas.

Por meio de hardware e software, o Arduino pode ser ligado a um computador ou uma rede para o recebimento e envio de dados.

Quais as principais funcionalidades do Arduino?

A placa pode realizar várias funções, bastando “ensiná-la”, usando o software IDE, onde se escrevem os códigos compreensíveis pelo Arduino.

É possível, por exemplo, acionar luzes, regular temperatura, ativar sistemas de alarme, controlar acessos, detectar vazamentos, entre inúmeras outras funcionalidades.

Apesar de existirem outros microcontroladores no mercado, o Arduino costuma ser o favorito da comunidade “maker” (pessoas que constroem seus próprios projetos), por causa de algumas vantagens:

  • baixo custo;
  • multiplataforma (atua com diferentes sistemas operacionais);
  • ambiente de programação fácil de usar;
  • software e hardware de código aberto e extensível; etc.

Como funciona a placa de Arduino?

Seu funcionamento é parecido com o da placa de um computador: ele consegue interpretar entradas e controlar saídas, gerando sistemas automáticos. Para viabilizar essas ações, é necessário programá-lo, ou seja, indicar ao Arduino o que ele deve fazer em cada situação.

Isso é feito por meio de códigos de sequência lógica que direcionam a tomada de decisões, com base em variáveis pré-definidas. Essa atuação é similar à do CLP (Computador Lógico Programável), que controla sistemas industriais.

A programação do Arduino é realizada por um software (baixado gratuitamente do seu site oficial) que consegue controlar suas ações, indicando comandos como o início e o fim de um processo.

O Arduino é composto por: fonte de alimentação, pinos de conexões para a criação de circuitos, botão de reset e um indicador LED de energia.

Quantos tipos de Arduino existem?

Desde a sua criação, foram desenvolvidas diversas versões do Arduino, cada uma com características próprias, que atendem a diferentes necessidades dos usuários. Veja alguns exemplos:

  • Arduino Uno – é a placa mais utilizada, ideal para iniciar no mundo “maker”, pois é fácil de usar;
  • Arduino Uno Rev3 – é uma das plataformas mais documentadas, ou seja, há diversos tutoriais na Internet para aprender a utilizá-la;
  • Arduino Due – evolução do Arduino Uno, possui microcontrolador de 32 bits, que garante velocidade e alto desempenho de processamento;
  • Arduino Zero – é uma extensão poderosa do Uno, também com 32 bits, indicado para operação junto a dispositivos IoT, tecnologia vestível, automação, etc;
  • Arduino Nano – sua principal característica é a compactabilidade, sendo muito útil para projetos com pouco espaço de operação;
  • Arduino Mega – muito semelhante ao Uno, porém, tem mais portas disponíveis;
  • Arduino Pro Mini – suas baixas dimensões o tornam apropriado para diversas aplicações, porém, não apresenta conexão USB embutida;
  • Arduino Leonardo – utiliza um microcontrolador mais moderno do que o do Uno e apresenta boa quantidade de pinos analógicos e digitais, além de comunicação USB embutida;
  • Arduino Lilypad – desenvolvido para uso em roupas inteligentes, pode ser costurado diretamente em tecidos e permite conexão a LEDs e sensores.

Quais as utilidades na vida cotidiana?

Diversas coisas podem ser automatizadas em uma casa, tornando-a inteligente e proporcionando mais conforto e agilidade em tarefas corriqueiras, como: uma cafeteira conectada ao Twitter, que prepara uma xícara de café após receber um comando, por meio de um simples tweet.

Também dá para controlar luzes, sons e janelas, adaptando os ambientes conforme a necessidade ou desejo do usuário.

A segurança residencial pode ser reforçada, com a criação de um sistema de monitoramento utilizando Arduino, para identificação de intrusos, detecção de incêndios e muito mais.

Quais projetos podem ser feitos?

Além da automação residencial para facilitar o dia a dia, o Arduino é usado em infinitos projetos de eletrônica, elétrica e até industriais, bastando adicionar sensores, módulos e ter criatividade. Veja esses exemplos:

  • brinquedos;
  • robôs seguidores de linha;
  • braços robóticos;
  • impressoras 3D;
  • fresadoras CNC;
  • corte a laser;
  • irrigação inteligente;
  • roupas com sinalização para ciclistas; etc.

Confira mais exemplos nesse outro post do blog: 7 ideias para montar o seu projeto com Arduino.

No site da Kalatec você encontra diversos equipamentos e componentes que podem atuar com a placa, como: motores de passo, servomotores, motoredutores, etc.

Conclusão

Apesar de exigir um conhecimento básico em eletrônica, o Arduino definitivamente revolucionou a criação de projetos nesta área e em outras, como a automação residencial, pois simplifica e reduz os custos de sua execução.

Por conta dessas e outras vantagens, é tão querido por amadores e profissionais, ganhando novos adeptos em todo o mundo, diariamente.

Gostou do artigo e quer saber mais sobre tecnologia e automação? Então continue navegando pelo nosso blog e recomende-o para seus amigos. Até mais!

Posts relacionados

Edilson Cravo

Edilson Cravo

Engenheiro de Aplicação. 22 anos de experiência com 5000 visitas únicas em Indústrias. CMO da Kalatec Automação. Especialista em Controle e Automação (USP). Engenharia de Processo (MAUA) - Gestão de Inovação (ESPM) - Gestão de PME (FGV) e MBA em Vendas (PUC). Foi consultor de projetos no Instituto Nuclear Brasileiro, Embraer, Rede Globo e USP (Projeto Inspire).

Veja também

Abrir WhatsApp