Tipos de Programação em CLP: saiba tudo sobre o que é e como funciona!
Automação Industrial

Tipos de Programação em CLP: saiba tudo sobre o que é e como funciona!

Item indispensável na automação industrial, o CLP é considerado o “cérebro” que faz todo o controle de um sistema de produção, que inclui diversas máquinas e dispositivos. Por isso é importante entender os tipos de programação em CLP.

É praticamente impossível uma fábrica trabalhar sem esse equipamento, pois ele realiza o raciocínio lógico de comando dos processos, manipulando as entradas, verificando o funcionamento das máquinas e atualizando as saídas.

Acompanhe neste post tudo o que você precisa saber sobre o tema, incluindo informações sobre os tipos de programação em CLP.

 

O que é CLP?

 

Controlador Lógico Programável (CLP) é um equipamento eletrônico utilizado na automação, controle e monitoramento de máquinas, processos e linhas de produção. Esse tipo especial de computador apresenta software e hardware e foi projetado para atuar sob as condições adversas de uma indústria, como poeira, temperaturas extremas e vibrações.

Seu sistema funciona com operações eletrônicas e lógicas booleanas, por meio de programação. É composto, basicamente, por cartões de entrada e saída, memória, processador, barramento e fonte de alimentação.

Com memória programável, o CLP armazena comandos e executa tarefas determinadas, como o controle de motores de passo e servo motores.

A National Electrical Manufacturers Association (NEMA), o define como um “aparelho eletrônico digital com memória programável para armazenar instruções e implementar funções específicas”.

Também é conhecido como PLC – sigla que se refere ao seu nome em inglês: Programmable Logic Controller.

 

O que faz um programador de CLP?

 

Programador de CLP é o profissional responsável por programar componentes de sistemas automatizados utilizando Controladores Lógico Programáveis.

Entre as suas funções, desenvolve sistemas eletrônicos e lida com softwares para controlar equipamentos e operações industriais.

O programador utiliza linguagens como a Ladder para fazer a comunicação com o controlador, indicando as ações que devem ser tomadas diante de diferentes situações.

Além disso, esse profissional domina a manipulação de controle de entradas e saídas, os recursos de programação dos CLPs e conhece bem funções, como: uso de bobina de memória, set/reset, timer  on/timer off, contadores up e down, etc.

Ele faz também a montagem de painéis e manuseia sistemas de interfaces de entrada e saída, realizando adaptação de tensão.

 

Como funciona a programação de CLP?

 

Para programar um CLP, conta-se com o auxílio de um programa gravado em um computador e, posteriormente, baixado no controlador. Geralmente, os fabricantes de CLP fornecem um software de programação de controle.

Uma boa programação depende da observação das características da aplicação: onde será empregado o equipamento, quais as especificações da máquina/sistema em que será usado, entre outros pontos.

Apesar de ser uma tarefa bem específica e exigir, por exemplo, noções básicas sobre montagem de circuitos lógicos, atualmente existem treinamentos disponíveis no mercado, para auxiliar quem deseja se capacitar para a função.

Uma boa opção é o curso EAD da Kalatec, que ensina, de maneira clara e objetiva, sobre a composição lógica do dispositivo e as principais linguagens de programação utilizadas.

 

Quais são os tipos de programação em CLP

 

Existem cinco linguagens de programação de Controladores Lógico Programáveis mais difundidas, que estão em conformidade com a norma IEC 61131-3, da Comissão Eletrotécnica Internacional:

 

Lista de instruções

 

Esse tipo de programação em CLP também é conhecido como Instruction List (IL) e aparece de forma sequencial. Atende diretamente aos comandos do computador e geralmente é aplicado em partes de um sistema ou em sistemas de pequeno porte.

Sua estrutura contém um acumulador para armazenar resultados parciais. Neste modelo, cada instrução fica em uma linha e deve ser precedida de um rótulo (etiqueta) e, depois, devem ser inseridos dois pontos (:).

Aceita a inclusão de modificadores, comentários e/ou linhas em branco.

 

Texto estruturado

 

Essa linguagem textual, de características modernas, também é chamada de Structured Text (ST). É muito utilizado em aplicações de alto nível, permitindo a  administração de dados como duração de tempo, datas e horas.

Pode atuar com diferentes tipos de valores digitais e analógicos, possui estrutura em blocos e contém instruções interacionais (FOR, WHILE e REPEAT) e condicionais (IF-THEN-ELSE e CASE OF).

 

 

Diagrama Ladder

 

Tipo de programação em CLP mais popular, o Diagrama Ladder ou Ladder Diagram (LD) se assemelha a uma escada, com barras verticais e paralelas – por isso o nome.

Utiliza lógica de relés e contatos elétricos, gerando circuitos de comando. Com funcionamento simples, é o modelo mais indicado para os iniciantes em programação.

Nesta linguagem, cada linha representa uma ação específica controlada pelo CLP, começando com uma ou mais entradas (contatos) que resultam em uma saída (bobina).

 

Diagrama de blocos funcionais

 

Modelo de linguagem gráfica muito popular na Europa, também conhecido pelo seu nome em inglês Function Block Diagram (FBD). A partir de blocos interligados, permite um desenvolvimento hierárquico, e é adequado para aplicações com troca de dados entre elementos de controle.

Flexível, apresenta blocos elementares de funções, com entradas e saídas conectadas no bloco por meio de linhas. Permite o uso de blocos pré-programados, como contadores, lógicas booleanas e temporizadores.

Além disso, blocos podem ser criados da maneira que o usuário quiser, com a técnica de encapsulamento.

 

Sequenciamento gráfico de funções

 

Chamada também de Sequential Function Chart (SFC) ou Grafcet, esta linguagem gráfica é aplicada em operações sequenciais, descrevendo atividades paralelas e alternativas. Exibe uma representação (em forma de diagrama) das sequências do processo controlado.

Ela divide um problema de controle, proporcionando uma visão global da operação e facilitando os diagnósticos. É uma boa opção para ser usado em CLPs de grande porte.


soluções kalatec

 

Qual a diferença entre Programação Gráfica e Programação Textual

 

Os tipos de programação em CLP são divididos em 5 linguagens diferentes (que descrevemos no tópico anterior), classificados em 2 categorias principais: gráfica e textual.

As linguagens textuais possuem registros escritos, enquanto as gráficas apresentam elementos visuais, como esquemas elétricos ou blocos, configurando o layout e suas respectivas funcionalidades.

Os principais exemplos de linguagem de programação gráfica são o Diagrama Ladder, o Diagrama de blocos funcionais e o Sequenciamento gráfico de funções. As demais (Lista de instruções e Texto estruturado) são linguagens de programação textual.

Melhores controladores lógicos programáveis do mercado

 

Conclusão

 

Esperamos que esse artigo tenha sido útil para esclarecer suas dúvidas sobre os tipos de programação em CLP.

Percebemos que o equipamento tem a missão de viabilizar a automação de sistemas industriais, sendo indicado para aplicações de todos os portes e variados setores.

Sua correta programação traz inúmeros benefícios para o negócio, como elevação da disponibilidade do maquinário.

Vimos que a linguagem Ladder é a mais utilizada e que o programador de CLP é o responsável por desenvolver sistemas eletrônicos que garantam o sucesso do funcionamento dos processos produtivos.

Para saber mais sobre o tema, leia outros conteúdos aqui no blog e conheça nossos cursos EAD.

Até logo!

 

Posts relacionados

Edilson Cravo

Edilson Cravo

Engenheiro de Aplicação. 22 anos de experiência com 5000 visitas únicas em Indústrias. CMO da Kalatec Automação. Especialista em Controle e Automação (USP). Engenharia de Processo (MAUA) - Gestão de Inovação (ESPM) - Gestão de PME (FGV) e MBA em Vendas (PUC). Foi consultor de projetos no Instituto Nuclear Brasileiro, Embraer, Rede Globo e USP (Projeto Inspire).

Veja também

Abrir WhatsApp