OEE: conheça as vantagens e a melhor forma de aplicar
Automação Industrial

OEE: conheça as vantagens e a melhor forma de aplicar

O sucesso de um empreendimento depende diretamente de um bom planejamento e da sua correta execução. Uma das ferramentas mais utilizadas para alcançar o desempenho esperado é o indicador OEE.

Com ele é possível saber o grau de eficiência de equipamentos, ajudando a otimizar processos industriais.

Mas, afinal, o que significa essa sigla? Como colocar em prática e quais são suas vantagens? Leia até o final e descubra essas e outras respostas.

Variadores de velocidade: o que é, tipos e qual é o melhor?

O que é OEE?

OEE é um indicador da eficiência global de equipamentos muito utilizado pelas indústrias. A sigla vem do inglês Overall Equipment Effectiveness, que também pode ser traduzido como Eficácia Geral da Máquina.

Este instrumento pertence à metodologia TPM (Manufatura Produtiva Total), e segue os princípios da manufatura enxuta, mostrando como estão a disponibilidade, a performance e a qualidade das empresas.

O OEE consegue apontar o tempo em que as máquinas ficam disponíveis, a velocidade e a quantidade de produção, além de identificar perdas.

Ele fornece valores percentuais, indicando a eficiência do negócio e revelando o tempo de fabricação que é realmente produtivo.

É usado principalmente pelo setor de manufatura para fazer a comparação entre máquinas ou, até mesmo para acompanhar um equipamento em diferentes períodos do ano.

Disponibilidade

Este é o primeiro fator considerado pelo OEE: o período de trabalho de um equipamento comparado com o tempo em que esteve disponível para uso.

Seu cálculo inclui os momentos de paradas planejadas, como as manutenções programadas e reconfigurações; e não planejadas, como quebras, falta de material ou energia. Ou seja, reflete acontecimentos que afetam a produção.

Performance

O desempenho da produção também é observado e analisado para saber se a velocidade e a agilidade estão ideais.

São levantados dados precisos para conhecer o período e a rapidez da fabricação versus a velocidade que o equipamento é capaz de entregar.

Com esse índice dá para identificar problemas como a ociosidade de funcionários e a inconformidade de processos.

Qualidade

É uma avaliação dos itens produzidos, com relação ao cumprimento das expectativas dos gestores e dos clientes, defeitos e cumprimento de padrões.

Este índice ajuda a localizar origens de erros que podem, então, ser corrigidos.

exemplo de uso do indicador OEE

Exemplo de aplicação do OEE

Para ilustrar e compreender melhor, imagine que uma empresa tenha, em 24 horas, um tempo total de funcionamento de 14 horas, sendo que ela fecha por 6 horas.

Dessas 14 horas, 2 são reservadas para paradas planejadas, o que diminui o tempo disponível de trabalho para 12 horas.

Suponhamos que durante as 12 horas ocorreram algumas quebras que consumiram 3 horas, deixando disponíveis 9 horas de trabalho.

Então, para calcular a taxa de disponibilidade, é preciso dividir as 9 horas disponíveis para operação pelas 12 horas que, de fato, se tinha originalmente para trabalhar. Isso nos dá a taxa de 75% de disponibilidade.

Depois disso, para encontrar a taxa de performance, é preciso se basear naquilo que se espera que o equipamento renda ou entregue.

Por exemplo, ele deveria ter fabricado 100 peças em 1 hora, mas acabou fazendo apenas 90, em decorrência de tempo de ciclagem desregulado, paradas para limpeza ou retirada de produtos defeituosos.

Isso significa que a performance foi inferior ao que a máquina poderia realizar, dividindo 90 por 100 e resultando em uma taxa equivalente a 90%.

Dessas 90 peças produzidas, imagine que 20 apresentaram defeitos, sendo possível calcular agora a taxa de qualidade: dividindo 70 por 90 e encontrando um valor de 78%.

Como calcular o OEE?

Para encontrar o seu índice OEE, basta multiplicar os seus valores de disponibilidade, qualidade e performance. Isso vai te dar um panorama atual da produtividade do seu negócio.

No caso do nosso exemplo acima, o índice seria encontrado assim: 75 x 90 x 78 = 53%.

Há um consenso de que a taxa de 85% é considerada muito boa, o que pode variar de segmento para segmento, sendo o 100% praticamente inatingível, já que toda produção é passível de intercorrências.

O que é World Class OEE?

As indústrias usam o conceito World Class como um benchmark, ou seja, um ponto de referência para saber o seu nível frente aos concorrentes de mercado.

Nos anos 80, o professor Seiichi Nakajima definiu e classificou em publicação alguns valores como sendo de classe mundial. São eles:

  • Taxa maior ou igual a 90% para Disponibilidade;
  • Índice maior ou igual a 95% para Performance; e
  • Valor igual ou maior que 99,9% de Qualidade.

Nakajima aponta que as plantas mais eficientes têm, em média, 85% de nível OOE, sendo que a maioria das empresas se encontra com 60%. As indústrias nacionais têm média de 27% de Overall Equipment Effectiveness.

Portanto, podemos dizer que a World Class OEE é um índice de nível mundial para checagem da eficiência. Isso significa que quem possui um equipamento com OEE de classe mundial está em um ótimo caminho.

Quais as vantagens do OEE?

Desenvolvido pelo Japan Institute of Plant Maintenance (JIPM), o Overall Equipment Effectiveness é um dos melhores caminhos para ajudar uma empresa a se tornar realmente produtiva.

A medição serve como referência para saber se o equipamento está fazendo um trabalho eficiente ou se precisa de ajustes. Outros benefícios que merecem destaque:

  • Otimiza o funcionamento do maquinário já existente;
  • Revela os setores com melhor desempenho;
  • Reduz custos operacionais;
  • Permite diagnosticar erros;
  • Diminuição de refugo e perda de material;
  • Melhor cumprimento de demandas;
  • Identificação e redução de paradas desnecessárias;
  • Elevação da produção total, com a correção de falhas;
  • Aumento da lucratividade; etc.

Otimize processos na sua indústria

Alcançar os níveis de classe mundial do OEE não é uma tarefa simples, mas se atentar ao que o indicador mostra sobre os seus processos atuais é importante para a tomada de decisões.

Com o mapeamento das causas de perdas e erros, os gestores podem focar em soluções como uma simples troca de peça ou componente de máquina, ou até a aquisição de dispositivos e equipamentos mais modernos, que farão diferença na produtividade.

Conclusão

A adoção do OEE nas indústrias ajuda a trazer à tona ineficiências, muitas das quais podem ser consertadas.

Portanto, é possível concluir que o indicador é uma forma de mensurar processos e ajudar a visualizar pontos de melhoria, em busca da excelência.

Mais do que encontrar números, o OEE é capaz de impactar positivamente empresas que desejam crescimento e sucesso.

Redutores Planetários: Entenda o Funcionamento E Como Escolher!

Posts relacionados

Edilson Cravo

Edilson Cravo

Engenheiro de Aplicação com mais de 21 anos de experiência e 5000 visitas únicas em Indústrias. É Gestor da Kalatec Automação. Especialista em Controle e Automação Industrial (USP). Engenharia de Processo (MAUA) Gestão de Inovação (ESPM) e Gestão de PME (FGV). Treinado nas fábricas Emerson Motion Control, AMP, Gecko Driver, Arcus Technology , Nexen, Hiwin, Delta Automação, Estun, Moons, HNC, Leadshine, Xinje, TBI. Foi consultor de projetos no Instituto Nuclear Brasileiro, Embraer, Rede Globo e USP (Projeto Inspire).

Veja também

Abrir WhatsApp