Guia Linear: o que é e como especificar?
Automação Industrial

Guia Linear: o que é e como especificar?

Os processos industriais necessitam de recursos eficientes que contribuam para o funcionamento adequado dos sistemas.

Frente a esse cenário, a guia linear é uma solução para as empresas, pois ajuda a melhorar o desempenho das máquinas, aumentando a qualidade da produção e reduzindo o tempo das operações.

Hoje, vamos entender um pouco mais sobre esse recurso tecnológico em um artigo repleto de informações sobre como fazer sua especificação, seus principais tipos e muito mais.

Boa leitura!

O que é uma guia linear?

Guia linear é uma barra prismática ou cilíndrica muito usada na indústria para movimentação linear horizontal ou vertical. Ela realiza deslocamentos, proporcionando estabilidade em diferentes direções, com um posicionamento preciso. 

Esse recurso tecnológico substitui o barramento convencional e traz vantagens, como uma movimentação mais suave e a capacidade de suportar cargas mais elevadas em processos simples e complexos.

Pode ser aplicado em máquinas variadas, como as automáticas, de alta precisão, ressonância magnética, seccionadoras, mandrilhadoras, centros de usinagem, tornos CNC, equipamentos de medição, retíficas, routers, máquinas-ferramenta, etc.

A guia melhora o desempenho das máquinas e de setores inteiros, evitando falhas, reduzindo movimentos bruscos e facilitando o trabalho.

Esta solução eficiente reduz paradas desnecessárias dos equipamentos e, por isso, aumenta a sua disponibilidade, refletindo diretamente nos resultados do negócio.

Junto a elementos rolantes, a guia realiza movimentos de precisão, fazendo com que a carga seja conduzida sobre os trilhos, com baixo atrito.

Sua movimentação tem baixa necessidade de torque, por isso, o desgaste e os custos operacionais são menores. Além disso, a guia ajuda a prolongar a vida útil de todo o sistema.

Confira outras vantagens do produto:

  • Flexível e seguro;
  • Intercambialidade confiável;
  • Fácil instalação;
  • Resistente e durável;
  • Não tem folga;
  • Alta capacidade de carga em todas as direções;
  • Lubrificação simples;
  • Alta precisão em deslocamentos;
  • Movimentação silenciosa;
  • Controle e alta rigidez dinâmica com baixo torque;
  • Conservação da pré-carga;
  • Suavidade na rolagem;
  • Suporta cargas estáticas e dinâmicas;
  • Alta eficiência e bom rendimento;
  • Custo baixo; etc.

Qual a função da guia?

A guia linear tem como função principal guiar e suportar o movimento linear de uma carga em uma direção específica, proporcionando estabilidade, precisão e suavidade na movimentação. 

Para exemplificar, vamos falar sobre o uso em uma máquina de usinagem CNC (Controle Numérico Computadorizado), que é utilizada para produzir peças de precisão para diversos setores, como aeronáutico, automotivo, eletrônico, entre outros.

Nessa máquina, a guia é responsável por guiar e suportar o movimento linear do eixo X, Y e Z da máquina, que são os eixos responsáveis pelo deslocamento da ferramenta de usinagem em relação à peça a ser trabalhada. A guia linear garante que o deslocamento seja feito com o máximo de consistência e acurácia, evitando falhas e erros na produção.

Além disso, o equipamento também contribui para a redução do tempo de produção, uma vez que a movimentação é mais suave e rápida, aumentando a eficiência da máquina. Com isso, é possível produzir peças com alta qualidade e em grande quantidade, atendendo às demandas do mercado de forma mais ágil e eficiente.

Como identificar uma guia linear?

Uma guia linear pode ser identificada por sua estrutura prismática ou cilíndrica, que é geralmente fabricada em aço ou alumínio. 

Ela é composta por elementos rolantes, como esferas ou rolos, que são responsáveis por conduzir a carga ao longo dos trilhos de forma precisa e suave.

Também apresenta características como a intercambialidade confiável, o que significa que as guias podem ser facilmente trocadas ou substituídas, e a fácil instalação, o que torna sua integração ao sistema industrial simples e prática.

Outras características importantes da guia incluem a resistência e durabilidade, que garantem sua longa vida útil e baixa necessidade de manutenção, a ausência de folga, que garante uma movimentação precisa e livre de vibrações, e a lubrificação simples, que facilita a manutenção e prolonga a vida útil da guia.

Guia linear

Como especificar uma guia linear?

A escolha ideal de uma guia linear depende da sua correta especificação. Alguns critérios devem ser analisados, como a capacidade de carga do componente.

Ao invés de especificar produtos acima dos números necessários, avalie o quanto realmente será necessário movimentar. Para tanto, considere também as condições do sistema em que as guias serão aplicadas.

Se atente ao nível de precisão requerido pelo seu projeto: quanto maior ele for, menores os desvios de posicionamento.

Além disso, verifique a temperatura, as possíveis contaminações e demais condições do ambiente em que a guia será inserida. Isso afetará diretamente a escolha do melhor modelo.

Enfim, considere a velocidade, a distância até o centro de gravidade, a orientação de movimentação, a área e outros dados para definir as dimensões do componente.

Lembrando que é recomendável contar com uma empresa especialista para fazer a especificação correta do produto.

Quais são os principais tipos de guias lineares?

Projetadas para deslizar cargas com precisão e suavidade, ao longo de um trilho padrão, as guias lineares podem chegar ao comprimento de até 4.000mm. Ou seja, são comercializadas em diferentes diâmetros para atender a variadas necessidades. 

A Kalatec, focada em atender às necessidades do cliente, oferece vários tipos diferentes de guias. Fornece uma série específica para máquinas CNC, assim como uma linha ideal para indústrias de automação.

A seguir, alguns dos tipos de guias lineares, disponíveis com ou sem aba, na Kalatec:

O que é um eixo linear?

O eixo linear é uma barra de aço com alto grau de dureza superficial. Não deixa de ser um tipo de guia linear e é usado em aplicações que permitem folga e vibrações.

Sua desvantagem é exatamente essa: por apresentar folga axial ao longo da sua linearidade, de mais ou menos 0,5°, ele não é considerado um sistema rígido.

Ele tem um limite de carga e, em tese, não tem suporte embaixo, podendo sofrer uma deflexão. Por isso, o eixo linear costuma ser usado em movimentação linear com transporte suave de carga.

O que são guias deslizantes?

As guias de deslizamento são um tipo de guia linear que não têm seus elementos individuais separados por mancais de rolamentos.

Podem ser encontradas, geralmente, nos seguintes formatos: cilíndrico, par de faces paralelas, rabo de andorinha, ou prismática em V.

São resistentes, duráveis e garantem mais segurança aos processos industriais, pois dimensionam igualmente a carga movimentada em várias direções, realizando um auto-alinhamento.

O que é guia de rolamento?

A guia linear de rolamento faz com que os elementos rolantes (esferas ou rolos) girem entre as guias, causando menor atrito quando comparamos com o modelo deslizante.

Seu funcionamento é baseado no princípio de circulação/rotação, em que mancais de rolamentos circularão entre dois componentes móveis, com a delimitação de uma gaiola, por exemplo, proporcionando uma movimentação silenciosa.

Guia Linear ou Eixo Retificado com suporte?

A escolha entre guia linear ou eixo retificado com suporte depende das necessidades específicas do sistema industrial em questão. Ambas as opções possuem vantagens e desvantagens que devem ser consideradas na hora de escolher a solução mais adequada.

O eixo retificado com suporte é uma opção mais simples e econômica, que consiste em um eixo retificado de alta precisão e um suporte que o mantém fixo em uma posição. Essa opção é indicada para sistemas que requerem uma movimentação linear simples e sem grandes exigências de precisão ou capacidade de carga.

Já a guia linear é uma solução mais complexa e avançada, que oferece justamente maior precisão e capacidade de carga. Ela é composta por um trilho prismático/cilíndrico e elementos rolantes, o que é sinônimo de uma movimentação suave e precisa em todas as direções, como já falamos.

Além disso, a guia apresenta outras vantagens específicas, também já citadas, como alta rigidez dinâmica, baixa necessidade de torque e ausência de folga.

Logo, a escolha entre guia linear ou eixo retificado com suporte deve levar em conta as necessidades específicas do sistema industrial em questão e limitações, como de orçamento. 

Se o sistema requer uma movimentação simples e sem grandes exigências de precisão ou capacidade de carga, o eixo retificado com suporte pode ser uma opção viável. No entanto, se o sistema requer uma complexidade maior, alta precisão e capacidade de carga, bem como as inúmeras vantagens supramencionadas, a guia linear pode ser a melhor opção.

Consulte os especialistas da Kalatec e adquira as melhores guias lineares para a sua empresa!

Guias lineares

Conclusão

Agora que você já sabe o conceito de guia linear e entende um pouco mais sobre ela, pode adquirir seus produtos de automação com mais tranquilidade e segurança.

Entre os benefícios desse recurso ferramental, destacam-se a sua flexibilidade para servir a projetos de diversos segmentos industriais, entregando precisão e rigidez para atividades como corte e usinagem.

Se resta alguma dúvida sobre esse produto, entre em contato com a nossa equipe de especialistas. Até o próximo post!

 

Posts relacionados

Edilson Cravo

Edilson Cravo

Engenheiro de Aplicação da KALATEC, 23 anos de experiência com mais de 5000 visitas únicas em Indústrias. Especialista em Automação Industrial e apaixonado por Servos Motores, foi treinado nas fábricas EMERSON MOTION CONTROL, YASKAWA, WEG, DELTA, HNC, LEADSHINE e ESTUN. Foi consultor de projetos no Instituto Nuclear Brasileiro, Embraer, Rede Globo, USP (Projeto Inspire) entre outros.

Veja também