Como fazer o controle de qualidade industrial? (Guia Completo)
Automação Industrial

Como fazer o controle de qualidade industrial? (Guia Completo)

controle qualidade industrial

As etapas da produção são variadas e, muitas vezes, complexas. Elas precisam de acompanhamento constante para que os produtos finais atendam às expectativas da indústria e do consumidor.

E é exatamente aí que aparece o controle de qualidade. Mais do que a identificação de defeitos, ele ajuda a conhecer melhor o negócio e a encontrar oportunidades de melhoria

Geralmente, as indústrias contemporâneas têm setores específicos para esta atividade. Mas o que torna essa medida tão importante? Continue a leitura para descobrir e saiba maneiras de aplicá-la.

banner ebook

O que é controle de qualidade e qual a sua importância?

Controle de qualidade é uma estratégia empresarial para padronizar processos internos, produtos e serviços, seguindo parâmetros técnicos e buscando a melhoria contínua. 

Em outras palavras, é um sistema de medição para identificação de defeitos e oportunidades de aperfeiçoamento. Este conjunto de princípios e técnicas ajuda a acompanhar todas as etapas de produção e a corrigir falhas.

Tal medida é baseada nos objetivos e necessidades dos empresários, fornecedores e clientes. O objetivo é manter um padrão de fabricação, para que os produtos atendam ou até ultrapassem as expectativas. 

Há uma busca constante por produtos e serviços com menos ou sem defeitos. Assim, obtém-se maior satisfação do consumidor e também da empresa, aumentando a competitividade do negócio.

As características dos produtos são verificadas e analisadas por profissionais e departamentos próprios para esta função, com o objetivo de manter a qualidade nos processos industriais e no resultado final. 

Então, as causas dos erros são investigadas, de modo que previne a ocorrência de acidentes ou outras eventualidades indesejadas. 

Como fazer o controle de qualidade?

Benefícios do controle da qualidade nas indústrias

Quando a importância do controle não é valorizada, erros críticos podem acontecer, como: necessidade de recall, riscos à saúde dos funcionários e dos clientes (principalmente quando se trata de alimentos ou remédios), atrasos, devolução, etc.

Porém, quando a empresa se dedica a montar uma equipe habilidosa e focada para fazer avaliações, testes e acompanhamento das atividades, as vantagens logo aparecem:

Performance otimizada

Os métodos de produção aprimorados com o controle de qualidade resultam em um melhor desempenho. Os recursos são aproveitados de maneira mais eficiente, reduzindo custos operacionais.

Os desperdícios e retrabalhos também são consideravelmente diminuídos, já que é possível antecipar a ocorrência de erros e defeitos, possibilitando a solução imediata.

Padronização

Os produtos e serviços que passam pelo controle de qualidade industrial são mais consistentes, com menos erros e variabilidade.

A atenção dada à qualidade, por meio de sistemas e ferramentas adequadas, gera itens que atendem às expectativas: funcionam, são seguros e, consequentemente, vendem mais.

Conhecimento compartilhado

Outro benefício é a manutenção do conhecimento sobre os processos: um produto é desenvolvido seguindo padrões de qualidade e, com a rotatividade normal do quadro de funcionários, a empresa precisa manter o funcionamento adequado.

Assim, independentemente da troca de equipe, os processos conseguem se manter. Para isso, é preciso formalizar e documentar os processos para serem sempre executados da maneira prevista. Com acesso a essas informações, qualquer pessoa incumbida de uma tarefa conseguirá realizá-la com sucesso.

Satisfação e reconhecimento

Com a supervisão, a dedicação e a disciplina requeridos pela busca por qualidade, a empresa consegue satisfazer seus acionistas, seus clientes e suas metas, colocando o negócio no caminho da excelência.

A marca é fortalecida e o cliente é fidelizado, pois as suas expectativas são atendidas e as vendas aumentam.

Como fazer o controle de qualidade da produção industrial?

O controle é uma tarefa minuciosa e diária, que demanda tempo e dedicação, porém necessária. 

Para isso, é fundamental analisar as tarefas realizadas: desde a escolha de matérias-primas e fornecedores, até o atendimento ao cliente, além do cumprimento de prazos, forma de atuação da equipe, etc.  Esta observação permite encontrar oportunidades de melhorias.

Erros fazem parte, mas devem ser identificados e solucionados para que a produção não seja comprometida. Isso precisa ser feito em qualquer fábrica, independente do porte ou ramo. 

A revista Ad Normas mostra em artigo que a indústria alimentícia é um exemplo da importância do emprego de boas práticas na fabricação, visto que, sem controle, os consumidores podem até contrair doenças por meio dos produtos adquiridos.

Outro ponto importante é a padronização de processos, que ajuda a alinhar as operações. A capacitação também tem papel de destaque, já que reflete diretamente nos resultados.

Os funcionários devem estar atualizados e orientados quanto às mudanças e as melhores práticas a serem adotadas nas linhas de produção

Cursos e treinamentos presenciais ou online são indicados. Assim, além de melhorar a qualidade no trabalho, há crescimento profissional e valorização da equipe.

O diálogo é outro tópico a ser considerado. Afinal, deve haver comunicação entre os setores, com reuniões, gestores acessíveis, apontamento de pontos positivos e negativos.

Também é recomendável ter um espaço para sugestões dos funcionários, que atuam diretamente nos processos produtivos.

Conheça seu cliente, realizando pesquisas de satisfação e mantendo caminhos abertos para feedback, como sites e redes sociais.

Deixe-os à vontade para dar relatos quanto ao atendimento e a qualidade do produto ou serviço. Assim você saberá se as suas estratégias de controle realmente funcionam.

Normas e certificados na gestão de qualidade

As normas e os certificados são documentos fornecidos por instituições reconhecidas e especializadas em determinadas áreas.

Elas elaboram normas e estabelecem quais são as melhores práticas nos processos de fabricação. As empresas e indústrias são avaliadas e devem atender às diretrizes e protocolos para serem certificadas.

Isso dá confiabilidade e resulta na boa reputação da empresa. Aqui listamos as principais certificações:

  • ISO 9000: Conjunto de normas técnicas que abrange vários certificados, como a ISO 9001 e a ISO 9004 (citadas a seguir). Ele é focado na padronização dos processos de fabricação, garantindo a qualidade em diferentes setores industriais ao mesmo tempo;
  • NBR 16001: Direciona as empresas a atuarem com responsabilidade social, desenvolvendo programas que garantam direitos ao trabalhador. Também promove a saúde e a segurança, defende o desenvolvimento sustentável, combate a pirataria e a sonegação de impostos, entre outras ações;
  • ISO 9001: Certificação internacional para Sistemas de Gestão da Qualidade (SGQ) que auxilia os gestores a identificarem erros nos processos e a corrigi-los;
  • ISO 9004: Voltada à satisfação do cliente, esta diretriz checa, por exemplo, se a capacidade da empresa está de acordo com as demandas por produtos. Fornece as orientações para a correta implementação de um Sistema de Gestão da Qualidade fundamentado na ISO 9001;
controle de qualidade industrial

Sistemas e ferramentas para controle da qualidade industrial

Para aplicar o controle de qualidade com eficiência, são usados diferentes sistemas e ferramentas, formando um conjunto de instrumentos que norteiam os processos visando a excelência produtiva.

Entre as ferramentas, há 7 consideradas metodologias básicas no processo de controle da:qualidade:

  • Fluxograma;
  • Cartas de controle;
  • Diagrama de Ishikawa;
  • Folhas de verificação;
  • Histogramas;
  • Gráficos de dispersão;
  • Diagrama de Pareto.

A seguir, destacamos e explicamos alguns dos exemplos de sistemas que podem ser usados para aplicar o controle de qualidade:

Manufacturing Execution Systems (MES)

Sistema de gerenciamento de produção que faz uma ponte” entre os níveis estratégicos e operacionais. Composto por ferramentas de software e hardware, se integra a outros sistemas, como o ERP.

Fornece informações em tempo real, obtidas diretamente do chão de fábrica e das demais áreas industriais, contribuindo para a melhoria em nas etapas de fabricação.

O MES importa dados do ERP, informações de funcionários, parâmetros para a produção, entre outras funções. Monitora desde a elaboração de ordens de serviço até o transporte das mercadorias prontas.

Enterprise Resource Planning (ERP)

Sistema com denominação inglesa, que significa Planejamento dos Recursos da Empresa. Este software de gestão tem a tarefa de cuidar dos processos administrativos e operacionais.

Levanta informações estratégicas que contribuem para a tomada de decisões. O ERP abrange os setores corporativos, como os de vendas, estoque e recursos humanos.

Agrupa as informações em um banco único, fornecendo insights importantes para o trabalho dos gestores. Com ele, é possível administrar melhor as contas da companhia, acompanhar as vendas e os pedidos.

Process Information Management Systems (PIMS)

Também conhecido como Plant Information Management System, esse sistema faz a aquisição de dados de processo de várias origens, geralmente utilizando a interface OPC UA.

Depois, arquiva em bancos e históricos, gerando visualizações completas das informações coletadas, o que permite uma visão ampla permitindo uma visão ampla e controle de toda a produção.

Muito aplicado em indústrias de processo contínuo, como a química, siderúrgica, de mineração, etc. Entre suas funções, destaca-se a possibilidade de gerar relatórios em tempo real, e a criação de tabelas e gráficos. 

Warehouse Management Systems (WMS)

controle de qualidade industrial

Este modelo, que significa Sistema de Gerenciamento de Armazém, é um sistema de software voltado aos processos logísticos, auxiliando as tarefas realizadas nos estoques. 

Fornece informações sobre as movimentações dos produtos dentro da empresa, contribuindo para que o trabalho seja mais estratégico. Então, os custos de estocagem e o tempo de espera do cliente são diminuídos, entre outros benefícios.

O WMS usa ferramentas como código de barras e etiquetas para fazer o controle. Levanta e arquiva informações sobre cada mercadoria e indica as melhores formas de organizar o layout da empresa, otimizando o fluxo da produção.

3 dicas para melhorar o controle de qualidade industrial

Processos mais controláveis, rastreáveis e, consequentemente, com resultados cada vez mais confiáveis. É isso o que os empreendimentos querem!

Para tanto, devem sempre buscar aperfeiçoamento, de olho nas exigências dos consumidores e também para não perder seus selos de qualidade. Confira essas dicas:

Busque padronizar processos

Os dados referentes a cada atividade realizada na fábrica devem ser documentados para uma posterior capacitação e instrução dos funcionários designados para o serviço.

A tecnologia pode ser usada para deixar os processos mais claros, permitindo o envolvimento de todos os níveis empresariais.

Checklists também podem ser usados, pois são úteis e eficientes, garantindo uma verificação mais detalhada de cada etapa de fabricação, corrigindo inconsistências facilmente.

Vale lembrar que todo sistema de gestão de qualidade moderno deve ainda prever a melhoria contínua: é importante que exista a possibilidade de criar versões e melhorias para os processos.

Estabeleça pontos de controle

Faça um mapeamento e defina as etapas que têm maior risco de ocorrência de problemas. Elas devem receber atenção redobrada para que o padrão de qualidade desejado seja mantido.

Geralmente, os pontos de controle são qualquer operação ou procedimento que pode ter suas falhas controladas com o uso de ações preventivas.

Automatize a produção industrial

Linhas de produção automatizadas incluem equipamentos e sistemas tecnológicos que ajudam a reduzir custos e a aumentar a produtividade.

Os itens são fabricados com eficiência e em menos tempo, aumentando a competitividade e melhorando a experiência com o consumidor.

Como a Kalatec pode ajudá-lo com a automação de sua indústria

É preciso confiar em um fornecedor que se comprometa em manter uma imagem positiva e que garanta a eficiência de cada produto ou serviço. Não se pode correr riscos quando se trata de qualidade.

Saiba que a sua empresa pode contar com o vasto portfólio de soluções industriais da Kalatec, que conta com: controladores, motores, fusos de esferas, drivers e muito mais.

São produtos com garantia, de marcas reconhecidas no mercado, à pronta entrega e com preços imbatíveis. Além disso, há o suporte técnico de uma equipe especializada que ajuda a tirar as dúvidas do seu projeto.

controle qualidade industrial

Conclusão

Notamos que, para adotar o controle de qualidade de forma eficiente, é preciso estar atento ao funcionamento da fábrica. 

O cumprimento das certificações, sem dúvida, eleva a visibilidade do negócio de maneira positiva. Percebemos também que as ferramentas e sistemas de controle são verdadeiros aliados.

Com suas funcionalidades, apresentam-se como soluções não somente para encontrar falhas, mas também para padronizar os processos. Tudo isso ajuda a aumentar a competitividade e a rentabilidade.

Portanto, não deixe de investir em instrumentos industriais como os que a Kalatec oferece, para otimizar a qualidade da sua produção. Até a próxima!

Posts relacionados

Edilson Cravo

Edilson Cravo

Engenheiro de Aplicação. 22 anos de experiência com 5000 visitas únicas em Indústrias. CMO da Kalatec Automação. Especialista em Controle e Automação (USP). Engenharia de Processo (MAUA) - Gestão de Inovação (ESPM) - Gestão de PME (FGV) e MBA em Vendas (PUC). Foi consultor de projetos no Instituto Nuclear Brasileiro, Embraer, Rede Globo e USP (Projeto Inspire).

Veja também

Abrir WhatsApp